Perdeu o terceiro dia de ULEPICC em Brasília? Veja o resumo do que aconteceu!

Por Carlos Augusto Xavier, Cristina Kos e Rebeca Borges

FACTO – Agência de Comunicação.

Nesta sexta-feira, 11 de novembro, foi realizado o último dia de ULEPICC Brasil 2016, no Edifício Benedito Coutinho, no Instituto de Ensino Superior de Brasília (IESB). As atividades se iniciaram pela manhã com a abertura do Painel 4 – Comunicação, Cultura e Desenvolvimento.

Estiveram presentes na mesa o professor e ex-Presidente da Ulepicc Brasil Ruy Sardinha Lopes e o pesquisador e ex-Secretário de Cultura da Bahia Antônio Rubim. A mediação foi cargo de Anita Simis, professora pela Universidade Estadual Paulista (UNESP).

Antônio Rubim iniciou a palavra ao discursar sobre a relação entre desenvolvimento e cultura e as várias dimensões desta, apresentando sua visão crítica sobre a Economia da Cultura e a Economia Criativa: “Enquanto que a Economia de Cultura está relacionada a determinados tipos de bens, com a Economia Criativa temos um fenômeno diferenciado, que é a expansão de determinada lógica dos bens simbólicos afetando os bens materiais”, disse Rubim.

Ruy Sardinha prosseguiu com a apresentação falando sobre o desenvolvimento cultural na atualidade. O pesquisador relatou que o conceito de cultura tem se transformado ao longo dos anos, assim como a diversidade cultural tem ganhado mais espaço. Ao fim, foi aberto um diálogo com o público presente que realizou perguntas aos convidados.

Logo após a realização deste Painel, deu-se início à apresentação e o debate do Painel 5 – Setores do capital e financiamentos de campanha, que também ocorreu no auditório Benedito Coutinho.

A primeira fala ficou por conta de Bruno Lima Rocha, professor da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), que apresentou a pesquisa “As relações discretas do golpe: a influência estadunidense sobre o processo de derrubada do governo eleito”, que aborda três dimensões do golpe de estado do Brasil.

Arthur Bezerra e Marco Schneider, em uma palestra com título Mediações Tecnológicas para Competência Crítica em Informação e Cidadania Ampliada, apresentaram o projeto de uma plataforma que exibe informações de acesso público sobre financiamento de campanhas e ações políticas mais inteligíveis.

“As ideias apresentadas pretendem recuperar informações que existem, mas que precisam de uma teoria e de conhecimentos para que se possa estabelecer relações e fazer análises”, afirma Schneider, que também reforça a importância de interpretar fatos além da aparência.

“Existe uma visão enganosa de que a Lei de Acesso à Informação cumpriria um papel de transparência”, aponta Bezerra, referindo-se principalmente ao financiamento de campanhas e questionando como essas informações repercutem na mídia.

Pesquisadores do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), Bezerra e Schneider utilizaram de conceitos e falas de Bourdieu, Marx, Engels, Gramsci e outros, preocupando-se com a interação entre indivíduos.

No início da tarde, houve a segunda rodada de apresentações dos Grupos Temáticos (GTs).

Ainda na sexta-feira, 11, foram concluídas as apresentações dos Grupos de Trabalhos (GTs) na ULEPICC. Os GTs 1 a 6 tinham como tema: Políticas de Comunicação; Comunicação pública popular ou alternativa; Indústrias midiáticas; Políticas Culturais e Economia Política da Cultura; Teorias e temas emergentes e Ética, política e epistemologia da informação. O GT 8 também foi realizado nesta tarde, com o tema “Temas emergentes da Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura e Lei de Acesso à Informação”.

Valéria de Castro e Célia Maria Madeira, do Grupo de Trabalho 1, apresentaram a pesquisa “A intervenção na EBC: uma ameaça à cidadania”. O trabalho aborda questões relacionadas à Medida Provisória 744 e ao desmonte da Empresa Brasil de Comunicação.  O GT 1 teve como coordenação nacional a Profª. Drª. Eula Cabral (FCRB – MinC) e como coordenação local o Prof. Dr. Murilo César Ramos (UnB).

A coordenação nacional do GT 6 foi feita pelo Prof. Dr. Marco Schneider (PPGCI-IBICT/UFRJ e PPGMC-UFF), enquanto a coordenação local foi da Profª Dra. Liliane Machado (UnB). O Grupo de Trabalho 6 ficou responsável por debater questões relacionadas a políticas da informação. Entre os trabalhos exibidos, os expositores Edvaldo Carvalho Alves e Edilson Targino de Melo Filho apresentaram “O processo de socialização, os aparatos infocomunicacionais e a disseminação da informação ideológica”, que abordou os aspectos das socializações primárias e secundárias na vida do indivíduo na sociedade.

ULEPICC faz carta de apoio às ocupações na UnB

O fim das atividades foi marcado por um momento importante: a leitura da carta de apoio às ocupações na Universidade de Brasília (UnB). No auditório Benedito Coutinho, durante a noite de sexta-feira, 11, último dia da ULEPICC Brasil, o ex-Presidente da União professor e doutor Adilson Cabral, acompanhado da doutora em Sociologia e mestre em Comunicação Elen Geraldes, fizeram a leitura da carta aprovada na Assembleia Geral Ordinária entre os sócios que decidiram se posicionarem a favor das ocupações na UnB, que teve o espaço ocupado por estudantes contrários à PEC 55 (antiga 241).

Mesa de encerramento discute Mídia Ativismo e Mídia Livrismo

O último painel do Encontro ULEPICC 2016 contou com Antônio Escrivão, do Direito Achado na Rua; com Bia Barbosa, jornalista e Coordenadora Executiva do Intervozes; Clayton Nobre,  jornalista da Mídia Ninja; Luís Costa Pinto, escritor e jornalista vencedor do prêmio Esso; Murilo Ramos,  jornalista e professor da Universidade de Brasília; e Pedro Rafael Vilela, jornalista do coletivo Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC).

Os participantes falaram sobre o direito à comunicação e como a rua e a internet possuem um papel importante na mídia. Em geral, discutiram também sobre como está a liberdade de expressão no Brasil, a transformação da mídia ao longo dos anos, a função do Estado nesse cenário, a consolidação da mídia livre e da comunicação comunitária.

Professora Elen Geraldes é homenageada pela comissão organizadora

Com o fim do Painel 6, ocorreu um momento de homenagem à Profª Drª Elen Geraldes, coordenadora geral do VI Encontro Nacional da ULEPICC, em Brasília. Elen teve seus esforços reconhecidos para que o evento acontecesse da melhor forma possível.

César Bolaño é eleito novo Presidente da ULEPICC Brasil

Também no final do evento, Elen Geraldes anunciou o nome do novo Presidente eleito pelos associados para representar a Ulepicc Brasil durante o mandato de 2016 a 2018: César Bolaño. O pesquisador destacou a responsabilidade que será comandar a associação diante da atual conjuntura política brasileira e reafirmou o compromisso de fazer o melhor possível. César Bolaño, o Presidente eleito, é mestre e doutor em Ciência Econômica pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), professor da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e uma das maiores referências da Economia Política da Comunicação na América Latina.

Sede do VII Encontro da ULEPICC é anunciada

No encerramento, também divulgou-se ao público o local do próximo Encontro: será realizado em Maceió, na Universidade Federal do Alagoas (UFAL), em 2018.

Festa de Encerramento

A confraternização de fechamento dos trabalhos ocorreu na Festa Pequila com Je Treme mon Amour, com os DJS Tide e Zalma, na SCS Quadra 5 Bloco C loja 108/110, Brasília-DF.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s