Chamada de Trabalhos

Chamada de trabalhos VI Encontro da Ulepicc Brasil

De 9 a 11 de novembro – Brasília –DF

Está aberta, até 10 de outubro de 2016, a chamada de trabalhos para o VI Encontro Nacional da ULEPICC Brasil 2016 – Capítulo Brasil da União Latina da Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura, a ser realizado de 9 a 11 de novembro em Brasília/DF.

Os interessados deverão enviar resumo expandido, de em média 500 palavras, salvo em PDF, tendo como nome do arquivo o sobrenome do autor ou autores, para o e-mail ulepiccbrasilia@gmail.com.

O parecer sobre o aceite ou a recusa do trabalho será enviado para o e-mail do autor/autores até cinco dias úteis após o final do prazo de submissão de artigos.

Importante: Só poderão apresentar trabalhos os autores que tiverem seus resumos aprovados e estiverem inscritos. Depois do evento, os autores terão até 20 de novembro para enviarem o trabalho completo para publicação.

CLIQUE AQUI para baixar o modelo de resumo expandido (GT-1 a GT 6)

CLIQUE AQUI para baixar o modelo de resumo exclusivo para o GT-7 Iniciação Científica

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO RESUMO EXPANDIDO (GT-1 a GT 6)

O resumo expandido deverá ter de 400 a 500 palavras e ser salvo em PDF. O nome do arquivo será o sobrenome do autor ou autores e ser enviado para o email ulepiccbrasilia@gmail.com.

Os resumos expandidos devem ter os seguintes elementos: Título, Autores, Resumo, Palavras-chave, Introdução, Metodologia, Fundamentação Teórica, Considerações Finais e Referências Bibliográficas.

a. O texto deverá ser formatado para um tamanho de página A-4, com margens superior, inferior, esquerda e direita de 2,5 cm. Deve ser empregada a fonte Time New Roman, corpo 12, exceto no título, com formatação justificada. O espaçamento entre as linhas deverá ser simples.

b. As citações de artigos (referências) no texto devem seguir as normas vigentes da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT.

c. O texto deverá iniciar com TÍTULO do trabalho em letras maiúsculas, utilizando fonte Time New Roman, corpo 14, em negrito, centralizado com, no máximo, 20 palavras.

d. Após duas linhas (espaços) do Título, devem aparecer os Nomes Completos dos Autores, separados por ponto e vírgula e grafados somente com as primeiras letras maiúsculas; seus respectivos emails; e os Nomes das Instituições aos quais eles estão vinculados como estudantes, ex-estudantes, docentes, pesquisadores ou profissionais.

e. A seção Resumo deve ter no máximo 100 (cem) palavras, com breves e concretas informações sobre os objetivos, métodos e conclusões do trabalho. Deverá ser iniciado imediatamente abaixo da palavra Resumo e apresentado em parágrafo único.

f. Logo após o Resumo virão as “Palavras-chave:” e, na mesma linha, serão incluídas, no mínimo, 3 (três) e, no máximo, 4 (quatro) expressões em português relacionadas ao tema do trabalho, separadas por “ponto e vírgula”.

g. A seção Introdução deve ser breve. Justificar o problema estudado e os objetivos do trabalho realizado.

h. A seção Metodologia deve ser concisa e clara, descrevendo os procedimentos utilizados.

i. A seção Fundamentação Teórica deve apresentar teorias e autores trabalhados.

j. Na seção Considerações Finais serão apresentados os resultados do estudo e não deverá conter citações.

l. Na seção Referências Bibliográficas devem ser listados apenas os trabalhos mencionados no texto, obedecendo as normas vigentes da ABNT.

Tema do Congresso

Mídia, poder e a (nova) agenda do capital.

Os recentes acontecimentos que levaram no Brasil, como na Venezuela, Equador, Honduras, Paraguai, à ruptura institucional tornaram explícitos os desafios e fragilidades da democracia liberal, em países com as características históricas e culturais dos latino-americanos. O  jogo de cena parlamentar e suas reverberações nas redes e mídias expõem e ao mesmo tempo encobrem disputas econômicas, maiores ou menores, das quais são as manifestações exteriores e sobre as quais retroagem, na dialética maior da luta de classes, que envolve a luta por classificações, significações, simpatias e repúdios. Pensar essa nova forma – midiática – de golpe, apoiada nas instituições da democracia liberal, Congresso e Justiça, torna-se um imperativo. Ademais, neste contexto, uma questão se coloca: como se reordenarão as pautas nos campos da comunicação e da cultura a partir de agora em nosso país.

Grupos Temáticos (GT)

GT1 – Políticas de comunicação

Coordenação nacional: Profª. Drª. Eula Cabral (FCRB – MinC)

Coordenação local: Prof. Dr. Murilo Ramos  (UnB)

Ementa: Objetiva estudar as ações de agentes públicos e privados relativas ao processo de regulamentação da mídia em suas diversas fases. Envolve a definição do conjunto de normas, princípios, deliberações e práticas locais relacionadas com a administração, organização e funcionamento do conjunto do sistema comunicacional. Analisa os processos e estratégias locais, regionais e internacionais dos conglomerados de comunicação e seu impacto e influência nos governos e na sociedade. Além disso, a concentração das comunicações e telecomunicações no Brasil.

GT2 – Comunicação pública, popular ou alternativa

Coordenação nacional: Prof. Dr. Fernando Oliveira Paulino (PPG-FAC-UnB)
Coordenação local: Profa. Dra. Liziane Guazina (UnB) e Jairo Faria (UnB)

Ementa: Contempla investigações sobre a comunicação desenvolvida no âmbito dos movimentos sociais, etnoculturais, dos sindicatos e organizações populares em geral, bem como aquela ligada ao serviço público. Aborda todo tipo de comunicação movida por objetivos sociais e de promoção da cidadania, atuantes em oposição à acentuada mercantilização da mídia.

GT3 – Indústrias midiáticas

Coordenação nacional: Prof. Dr. Marcos Dantas (UFRJ)

Coordenação Local: Profa. Dra. Ellis Regina Araújo da Silva  (UnB)

Ementa: Enfoca a rede institucional dos produtos comunicacionais que ligam a criação, produção, circulação, organização e comercialização de conteúdos de natureza cultural, informativa e de entretenimento. Engloba os processos industriais que envolvem televisão, cinema, rádio, internet, publicidade, produção editorial, indústria fonográfica, design, artes e espetáculos.

GT4 – Políticas culturais e economia política da cultura

Coordenação nacional: Profª. Dra. Verlane Aragão Santos (OBSCOM-UFS)

Coordenação local: Profa. Dra. Dácia Ibiapina  (UnB)

Ementa: Abriga pesquisas que retratam o papel econômico, político e sociológico que o campo da cultura e das artes assume na sociedade contemporânea. De um lado, engloba discussões sobre a atuação do Estado, da participação da sociedade e do mercado nesta relação, bem como os mecanismos de financeirização da cultura e das artes. De outro, debate a industrialização e mercantilização da cultura e sua implicação na dinâmica atual do capitalismo.

GT5 – Teorias e temas emergentes

Coordenação nacional: Profª. Dra. Patrícia Bandeira de Melo (FUNDAJ)

Coordenação local: Prof. Dr. Luiz Martino

Ementa: Acolhe os trabalhos de fundamentação a partir da matriz teórica da Economia Política da Comunicação e da Cultura, suas distintas vertentes e perspectivas metodológicas bem como os estudos comparativos e relacionais entre a Economia Política da Comunicação e outras correntes teóricas da comunicação e de outras disciplinas.

GT6 – Ética, política e epistemologia da informação

Coordenação nacional: Prof. Dr. Marco Schneider (PPGCI-IBICT/UFRJ e PPGMC-UFF)

Coordenação local: Profa. Dra. Liliane Machado (UnB)

Ementa: O objetivo geral do GT é fortalecer a presença da Ciência da Informação no âmbito da Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura, com ênfase no debate em torno das questões éticas, políticas e epistemológicas correlatas, bem como em suas interconexões teóricas e aplicadas.

GT7- Iniciação Científica em Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura

Coordenação: Profas. Dras. Elen Geraldes (PPG-FAC-UnB), Janara Sousa (PPG-FAC-UnB) e  Profa. Dra. Délcia Vidal  (UnB)

Ementa: O objetivo do GT é estimular a participação de pesquisadores da graduação, das mais diversas áreas, no Evento a partir da pesquisa na área de Economia Política da Comunicação, Informação e Cultura.

GT8- Temas emergentes da Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura e Lei de Acesso a Informação 

Coordenação: Profa. Dra.Katia Maria Belizario (UnB)

Ementa: O GT é constituído por temas emergentes em Economia Política que, em decorrência de sua complexidade, podem receber diferentes abordagens. São temas que passam pela tradição da EPC, mas permitam que aflore um novo olhar sobre os sistemas de mídia, as teorias e tecnologias de Comunicação, as representações midiáticas de indivíduos ou grupos, a relação entre mercado, sociedade e Estado etc.

Anúncios